Entrevista com Helio Rodrigues Seguir o Blog!
21/08/2015. HELIO RODRIGUES
Recorte de entrevista concedida por Helio Rodrigues - O Estado de São Paulo - 2014
Recorte de entrevista concedida por Helio Rodrigues - O Estado de São Paulo - 2014 O que se pode observar na arte produzida pelas crianças? Antes de tudo, precisamos separar o mundo concreto, dentro do qual mais atuamos, do imaginário que em geral é muito pouco permitido. Quando um adulto passeia pelo imaginário infantil com a cabeça ocupada pela lógica, fica também ocupado pela expectativa de um determinado resultado. Nessas condições esse adulto perde a oportunidade de conectar-se com a própria liberdade, com o prazer do espontâneo. Além disso, pode desenvolver um afastamento entre ele e a criança e até, dependendo da intensidade da relação, promover um afastamento entre a criança e a arte. É bom estimularmos as crianças a explicarem suas criações? Histórias, assim como títulos e nomes, comumente cobrados por pais e professores, costumam promover conforto apenas aos adultos. Parecem reduzir neles a angustia do desconhecido, do secreto e que na verdade é alimento da arte. Provavelmente, para sobreviver e pertencer, muitos adultos buscam tornar concreto tudo que se apresenta impalpável. Se afastam das subjetividades mesmo sendo elas alimento do sujeito e condição para se fazer e contemplar a arte. É com a subjetividade que nos constituímos sujeitos e não nos tornarmos meras repetições do mesmo. O que se pode considerar bonito e feio na arte infantil? Critérios estéticos determinam beleza, mas sofrem constantes mudanças em seu percurso seja entre culturas ou até mesmo de pessoa a pessoa dentro de uma mesma cultura. A estética sempre traz o sabor da impermanência ou não seria ela constituída pelas mudanças, pela diversidade de opiniões, de olhares e escutas. A riqueza dos significados por detrás de uma ação artística infantil promove um respeito, seja pelo processo ou pelo produto que assistimos. Quanto mais estreitamos a nossa relação com a arte, seja adulta ou infantil, mais ampliamos os nossos conceitos de beleza.
Tags: arte-educação




Leia também: Os Auto Exigentes


powered by eLearning fit